CARNAVAL

          

O que é carnaval? Carnaval ou entrudo são os três dias de folia que precedem a quarta feira de cinzas. É uma palavra que tem origem no latim "carna vale" que significa dizer "adeus à carne".

O carnaval chegou ao Brasil através das festas que ocorriam na Europa, principalmente na Itália e na França, no século XVII. As fantasias de pierrô e de colombina foram logo incorporadas ao carnaval brasileiro.

No início as festas de carnaval aconteciam nas ruas, com desfiles de fantasias depois, passaram a ser realizadas nos clubes, onde eram tocadas as marchas, os sambas e os frevos preparados para os festejos.

Hoje algumas cidades se destacam nas festas de carnaval. No Rio de Janeiro são os desfiles das escolas de samba, em Salvador são os trios elétricos que tomam conta das ruas da cidade, no Recife o bloco "O Galo da Madrugada" que sai às ruas no sábado de carnaval, pelo centro da cidade e já entrou para o livro dos recordes, como o maior bloco de carnaval do mundo. Em Olinda, os bonecos gigantes desfilam pelas ladeiras da cidade Patrimônio da Humanidade.

O período do Carnaval muitas vezes é caracterizado pela inversão das normas aceitas pelo sociedade, sendo que alguns comportamentos são tolerados só durante esta época festiva.

As manifestações mais populares do Carnaval são os bailes de máscaras e desfiles carnavalescos. O mais popular desfile de carnaval acontece no Rio de Janeiro, na marquês de Sapucaí, onde ocorre o desfile tradicional das escolas de samba.

Em sentido figurado a palavra Carnaval pode significar folguedo, folia ou confusão. Ex: Quando a professora entrou na sala, encontrou o maior Carnaval.

Origem do Carnaval

A origem do Carnaval está relacionada com determinados rituais de fecundidade da terra, que eram organizados na passagem de ano e no início da Primavera. No entanto, com o aparecimento do Cristianismo o Carnaval perdeu um pouco do seu caráter simbólico e místico.

Os bailes de máscaras foram criados na França, no século XVII mas rapidamente ficaram populares em outros países europeus. Durante o Renascimento, as festas carnavalescas atingiram uma grande popularidade, principalmente na Itália (em Roma e Veneza).

Atualmente, o Carnaval perdeu a sua espontaneidade popular em quase todas as suas manifestações, passando a ser uma mera atração turística. No Brasil, apesar do Carnaval ter uma grande componente turística, ainda mantém a sua espontaneidade (principalmente no Rio de Janeiro e Bahia), que se fortaleceu através do folclore.

Igreja Católica e Carnaval

O carnaval é celebrado 40 dias antes da Páscoa, desde o século XI. Este período é chamado pela Igreja Católica de Quaresma, que preserva quarenta dias de jejum, com abstinência de carne. Este período é caracterizado por muitas privações e por incentivar aqueles festejos carnavalescos onde a própria palavra carnaval indica os prazeres da carne. O carnaval acontece geralmente durante três dias que antecedem a Quarta-feira de Cinzas. A terça-feira de carnaval é chamada de Terça-feira gorda, ou "Mardi Gras" como dizem os franceses.

Carnaval na Itália

O carnaval na cidade de Veneza é uma tradição desde o século XVII, e sua característica maior são as máscaras, porque os nobres gostavam da diversão e para não chamarem a atenção do povo se disfarçavam escondidos atrás das máscaras. Os trajes utilizados ainda são os mesmos daquele período, as mulheres com vestidos longos ricamente enfeitados e os homens de libré ou roupas de seda preta e chapéus de três pontas.

O que significa a Quarta-feira de Cinzas:

A Quarta-feira de Cinzas representa o primeiro dia da Quaresma no calendário gregoriano, podendo também ser designada por Dia das Cinzas e é uma data com especial significado para a comunidade cristã. A data é um símbolo do dever da conversão e da mudança de vida, para recordar a passageira fragilidade da vida humana, sujeita à morte. Coincide com o dia seguinte à terça-feira de Carnaval e é o primeiro dos 40 dias (Quaresma) entre essa terça-feira e a sexta-feira (Santa) anterior ao domingo de Páscoa.

A origem deste nome é puramente religiosa. Neste dia, é celebrada a tradicional missa das cinzas. As cinzas utilizadas neste ritual provêm da queima dos ramos abençoados no Domingo de Ramos do ano anterior. A estas cinzas mistura-se água benta. De acordo com a tradição, o celebrante desta cerimônia utiliza essas cinzas úmidas para sinalizar uma cruz na fronte de cada fiel, proferindo a frase “Lembra-te que és pó e que ao pó voltarás” ou a frase “Convertei-vos e crede no Evangelho”.

Na Quarta-feira de Cinzas (e na Sexta-feira Santa) a Igreja Católica aconselha os fiéis a fazerem jejum e a não comerem carne. Esta tradição já existe há muitos anos e tem como propósito fazer com que os fiéis tomem parte do sacrifício de Jesus. Assim como Jesus se sacrificou na cruz, aquele que crê também pode fazer um sacrifício, abstendo-se de uma coisa que gosta, neste caso, a carne.

Quarta-feira de cinzas não é feriado

De acordo com a lei federal, a Quarta-feira de Cinzas não é um feriado oficial. No entanto, muitos estabelecimentos comerciais não funcionam, mesmo tendo autorização para funcionar. Algumas repartições públicas e agências bancárias só funcionam a partir das 12 horas.

O que é Sexta-feira da Paixão:

Sexta-feira da Paixão ou Sexta-feira santa é um feriado religioso comemorado pelos cristãos, simbolizando o dia da morte de Jesus Cristo, e faz parte das festividades da Páscoa, que simboliza a ressurreição do Messias. 

A sexta-feira da Paixão é considerada uma data móvel, ou seja, não possui um dia específico para ser comemorado anualmente. Por regra, deve ser celebrada na sexta-feira que precede o domingo de Páscoa. 

De acordo com a tradição, para se definir o dia em que é celebrada a sexta-feira santa, considera-se a primeira sexta-feira de lua cheia após o equinócio de primavera (no Hemisfério Norte) ou equinócio de outono (no Hemisfério Sul). Neste caso, a sexta-feira da Paixão pode ocorrer entre os dias 22 de março e 25 de abril.

Após a definição da data da sexta-feira santa, outras comemorações são estabelecidas, como o domingo de Páscoa, a quarta-feira de Cinzas (primeiro dia da Quaresma) e o Carnaval.

Para os cristãos, tradicionalmente, a sexta-feira da Paixão é um dia de rituais e penitências, como o jejum ou a abstinências de prazeres mundanos. 

É comum ver reconstituições, encenações, homenagens e outras formas de representações artísticas de como teriam sido os últimos momentos de vida de Jesus Cristo, seu julgamento, crucificação e ressurreição do "mundo dos mortos". 

O que é Sábado de Aleluia:

Sábado de Aleluia é o Sábado da Semana Santa, o primeiro dia depois da crucificação e morte de Jesus Cristo é o dia anterior ao Domingo de Páscoa. O Sábado de Aleluia é o último dia da Semana Santa.

O Sábado de Aleluia ou Sábado Santo pode cair entre 21 de março e 24 de abril, e nesse sábado é celebrada a Vigília Pascal depois do anoitecer, dando início à Páscoa. Sábado de Aleluia é o dia em que se acende-se o Círio Pascal, uma grande vela que simboliza a Luz de Cristo, que ilumina o mundo. Na vela, estão gravadas as letras gregas Alfa e Ômega, que querem dizer "Deus é o princípio e o fim de tudo”.

Na tradição católica, os altares são encobertos, pois assim como na Sexta-Feira Santa, não se celebra a Eucaristia. As únicas celebrações que fazem parte é a Liturgia das Horas. Além da Eucaristia, é proibido celebrar qualquer outro sacramento, exceto o da confissão.

Antes de 1970, no Sábado de Aleluia os católicos romanos deveriam praticar um jejum limitado, como abstinência de carne vermelha, que deveria ser substituída por peixe.

É também no Sábado de Aleluia que se faz a tradicional Malhação de Judas, representando a morte de Judas Iscariotes.

http://www.significados.com.br/carnaval/